O washboard é um instrumento do povo. Serve para lavar roupa, sim, mas a sua utilização como instrumento musical teve um impacto significativo na história da música Americana.

O facto de ser feito de metal cria um som forte, com projecção, enquanto que o seu formato ondulado permite que esse som sejastacatto  (de curta duração) o que é essencial para criar ritmos rápidos e complexos. É usado para adicionar um som scrapped outapped  ao ritmo, ou então fazer a própria base rítmica da música.

É comum adicionarem-se acessórios para uma maior variedade sonora, muitas vezes usando material de sucata: latas, panelas, blocos de madeira, cornetas de bicicleta, sinos, etc. Para as tocar usam-se colheres, dedais de costura, paus, vassouras de bateria, entre outros.

 

Sendo um objecto mundano e regularmente utilizado pela comunidade afro-americana do século 19, é natural que a sua adaptação a instrumento musical tenha surgido no seu ceio.

Na altura,  os donos das plantações não permitiam tambores pois tinham receio que os escravos os usassem para comunicar entre quintas, potenciando alguma revolta. Assim os escravos faziam ritmos com os seus pés e mãos em diferentes partes do corpo para produzir sons diferentes (hamboning) assim como qualquer objecto que estivesse à mão: garrafas, colheres, banheiras e claro placas de lavar roupa (washboards).

Cantar enquanto se lava a roupa era natural, e um ritmo de suporte na washboard ficava sempre bem. Aliás, o momento de irem ao rio lavar a roupa proporcionava aos escravos um “momento de maior liberdade”, onde podiam expressar-se artisticamente sem tanta presença das restrições dos “donos”.

Rapidamente o washboard tornou-se um instrumento de percussão de “amadores” com bastante disseminação, ganhando espaço na secção rítmica do Jazz de Nova Orleans (Trad Jazz), Blues e Bluegrass, entre outros estilos.

Lavar roupa é trabalhoso e ocupa tempo. O engenho humano sempre procurou formas fáceis e práticas de conseguir tirar as aquelas manchas indesejáveis. No entanto até chegarmos às máquinas de lavar roupa domésticas, a maioria dos sistemas envolvia lavar a roupa no rio. Projectar a roupa contra uma rocha, ou bater na roupa contra uma rocha com um pau, pedra ou tábua são formas bem mais antigas de retirar a sujidade.

As washboard “Vintage” americanas, feitas de metal, para esfregar e limpar roupa, são na realidade objectos bastante modernos criados durante o século 19. Acredita-se que as suas origens venham da Escandinávia, onde tábuas de madeira eram comuns (esquerda), e cuja disseminação para outros países ocorreu também durante o século 19.

A primeira patente para uma washboard de “fluted tin, sheet iron, copper or zink” surgiu em 1833 (direita), em nome de Stephen Rust of Manlius