Embora definir “Swing” seja praticamente impossível, algumas das suas propriedades podem ser analisadas. Uma das mais relevantes para quem dança é a sincopação. Sem dúvida que a sincopação é uma propriedades mais marcantes da música Jazz, mas o que é?

 Quando algo acontece fora da métrica rítmica da música, deslocando a ênfase da música fora do espectável.

Uma estrutura musical perfeitamente simétrica (não sincopada) é não só altamente previsível, como tem potencial para ser altamente aborrecida. Sincopação tem a ver com negar as expectativas, criando solavancos ou interrupções no flow de ritmo.

Este exemplo de uma música muito conhecida, dos Rolling Stones, é um bom exemplo de uma melodia (voz) sincopada.

Na primeira linha (A) o acento acontece nos tempos fortes da música: 1 e 3, não havendo sincopação.

Na 2ª linha (B) o acento da melodia acontece nos tempos fracos: 2 e 4. Existe aqui alguma sincopação.

Na 3ª linha (B), temos a acentuação  acontecer nos tempos entre beats, os “&”, existindo sincopação.

    1  &  2  &  3  &  4  &  1  &  2  &  3  &  4  &  
A : ¯           ˘           ¯           ˘           
    I           can't       get         no -  o
B :       ¯           ˘     ¯           ˘           
          I           can't get         no -  o
C :       ¯        ˘        ¯        ˘              
          I        can't    get      no -  o

Estas técnicas de sincopação são das artimanhas musicais mais antigas e poderosas que o ritmo tem para nos oferecer.

Qual a vantagem deste “truque musical”?
É que música sincopada é normalmente percepcionada como mais excitantes e alegres do que música não-sincopada (referência científica).

Nada melhor do que ouvir de um especialista como esta sincopação funciona e os seus impactos.
Neste segmento também conseguimos perceber como é que a música Swing se diferencia pela sua sincopação melódica, assim como perceber um pouco por detrás da sua história.

Na realidade a música swing está repleta de sincopações em ambas as direcções, quer atrasadas (mais comuns), quer adiantadas. Como consequência, os Lindy Hoppers estarão muitas vezes a dançar “à frente ou atrás” do ritmo principal. Esta é uma noção de musicalidade bastante avançada, mas que tem um impacto enorme na qualidade de dança, quer seja Lindy Hop, Blues, Charleston ou qualquer outra estilo de dança Swing.

Mas a só existe em Swing, Jazz e estilos derivados?
Definitivamente, não! Aliás, quase toda a música popular que ouvimos tem este tipo de sincopação numa versão adiantada, mesmo que não nos apercebamos. Neste segmento podemos perceber o enorme impacto que tem na música que chega até nós.

The effect of syncopation is sexy: it makes the jazz “hot” and the blues “cool”